Volta às aulas: quem disse que seria fácil?

IMG_20160202_183450248Quem estava acreditando que a volta das férias seria super tranquila levanta a mão!
\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/
Agora levanta a mão quem não preparou o coração para ouvir sua pequena pedindo, na porta da escola, para ir para casa!
\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/
Pois é isto! Eu levanto a mão nas duas situações.
Minha mocinha, com todo seu desprendimento, com toda sua autonomia, com toda sua maturidade, me pegou desprevenida e tem chorado para entrar na escola.
Era tão previsível que isto aconteceria, que me pergunto como foi que eu não me preparei melhor para este momento. Férias de mais de um mês, todo o tempo junto comigo, nossa casa sendo um espaço de liberdade de rotinas e com horário totalmente flexível. Ela simplesmente se acostumou com esta situação. Ela gosta da escola, mas penso que ela gostaria que fosse mais um dos passeios que fazemos juntas e que logo em seguida voltamos para casa.
Na minha ingenuidade de mãe, o simples fato de ela ter os mesmos amigos de sempre e estar com muita vontade de revê-los, bastava para que a volta para a escola fosse tão tranquila como se ela jamais tivesse saído de férias. Mas grande engano: todo o resto que vem no conjunto transforma o cenário e as circunstâncias e nova adaptação se faz necessária.
Adaptação esta que está acontecendo com tudo junto e misturado. Voltamos juntas, eu para o trabalho e ela para a escola. Temos longas conversas no percurso e tenho parado o carro longe do portão para que ela tenha tempo de mais uma conversa e uma caminhada de mão dada antes de cada uma ir cumprir com sua obrigação diária. Mas ainda assim, ela tem chorado todos os dias.
Ela chora de lá e eu me angustio daqui. Sou imensamente honesta em dizer que não está sendo uma situação simples. Meu coração aperta, meus olhos lacrimejam e olho constantemente no relógio para saber se está na hora de buscá-la.
Na hora da saída sempre a encontro bem e feliz. Conta das coisas que fez e das atividades que realizou. Fala sobre os amigos e das brincadeiras no parque. Mas no dia seguinte, a cena se repete.
IMG_20160210_125118Tenho dois anjinhos sentados nos meus ombros. Um, bem racional, me diz o tempo todo que  está tudo bem e que logo passará. O outro, mais coração, se pergunta constantemente se realmente está dentro da normalidade e por quanto tempo ainda irá durar esta angústia da adaptação.
Enfim, minha garotinha que sai tão linda na foto com seu uniforme e mochila, não está achando tão divertida assim esta volta das férias enquanto eu  vou aguardando o tempo passar para ver se ele tem a capacidade de acalmar nossos corações, sem ter certeza alguma de qual a melhor maneira de agir neste momento.

Aguardando os ânimos se ajustarem, até breve!

Deixe uma resposta